Últimas notícias »

SINDICATO  DOS  EMPREGADOS
EM TURISMO E HOSPITALIDADE
SÃO JOSÉ DO RIO PRETO E REGIÃO

entre em contato conosco
17 3203.0077
Esporte 26/6/2018 8:58:28 » Por

Técnico da Costa Rica sofre ameaças, mas quer ficar até Copa 2022.

Óscar Ramírez recebeu mensagens anônimas na internet falando em recepção violenta no retorno ao país.



Por GloboEsporte.com, Nizhny Novgorod, Rússia

26/06/2018 08h03  Atualizado há 30 minutos

 

A eliminação precoce da Costa Rica na Copa do Mundo gerou muita dor de cabeça para o técnico Óscar Ramírez. Com contrato em vigor até o fim do Mundial, o comandante sofreu ameaças anônimas em redes sociais nos últimos dias, após confirmação da desclassificação, com a derrota de 2 a 0 para o Brasil. Mesmo assim, segue com vontade de treinar a seleção no próximo ciclo de quatro anos, até a Copa do Catar, em 2022.

- Nem por um minuto passou pela minha cabeça sair, nunca. Estou indo adiante. Na verdade, ainda não sei o que vai acontecer, mas estou ansioso para continuar aqui. Não vou recuar, tenho coragem - disse o treinador ao jornal costarriqueno La Nación.

As críticas virtuais recaíram sobre sua liderança e sua forma de condução do grupo. Uma página de humor negro da internet promoveu a ideia de uma recepção violenta ao treinador e aos jogadores no retorno ao país - e obteve considerável adesão. Pouco depois, aparentemente, as mensagens foram apagadas.

 
Bryan Ruiz considerou absurdas ameaças num país pacífico como a Costa Rica (Foto: Dmitri Lovetsky/AP)

Bryan Ruiz considerou absurdas ameaças num país pacífico como a Costa Rica (Foto: Dmitri Lovetsky/AP)

Líderes do elenco, os experientes Bryan Ruíz e Celso Borges saíram em defesa de Óscar Ramírez.

- Eu acho lamentável passar por tais situações em um país como a Costa Rica. Acho que o futebol não nos dá muito quando não ocorrem alguns resultados. Sabemos o que o futebol significa para a Costa Rica. É ruim que haja pessoas que acompanhem essa página e a apoiem, é uma minoria em um país de paz, em um país que não tem exército. Não é possível, para uma pessoa humilde e trabalhadora como Óscar Ramírez, que as pessoas em sua família tenham medo ou se sintam ameaçadas. É algo que não pode acontecer no futebol. Espero que a Costa Rica seja um exemplo, pois temos valores muito bons - argumentou Bryan Ruíz, que atua no Sporting.

Borges também considera que as ameaças não têm lugar no futebol.

- Óscar sabe que tem o apoio de seus jogadores, e sua família também está com ele. É uma absoluta barbaridade. Faço um apelo para denunciar qualquer um que esteja incitando esse tipo de coisa - afirmou o volante do Deportivo La Coruña.

 
Celso Borges disputa bola com Neymar, em Brasil 2 x 0 Costa Rica (Foto: Marcos Brindicci/Reuters)

Celso Borges disputa bola com Neymar, em Brasil 2 x 0 Costa Rica (Foto: Marcos Brindicci/Reuters)


NOTÍCIAS RELACIONADAS

Rua Conselheiro Saraiva, 317 | Vila Ercilia | São José do Rio Preto - SP | Fones: 0xx (17) 3203-0077 | Diretor Presidente - Sergio da Silva Paranhos

Sindicato SETH - Todos os direitos - Desenvolvido por MaquinaWeb Soluções em TI