Últimas notícias »

SINDICATO  DOS  EMPREGADOS
EM TURISMO E HOSPITALIDADE
SÃO JOSÉ DO RIO PRETO E REGIÃO

entre em contato conosco
17 3203.0077
Esporte 25/10/2018 10:43:39 » Por

Guardiola e seu lado humano: Às vezes só preciso abraçar meus jogadores, não preciso falar

Treinador do Manchester City foge do protocolo de táticas e estratégias para falar sobre a vida e revela receio ao se envolver demais com a profissão



Por GloboEsporte.com — Manchester, Inglaterra

 

Pep Guardiola como você nunca viu. Tido há anos e anos como um dos melhores treinadores do mundo, o técnico do Manchester City conversou com a "BBC Radio" sobre a vida - e sobre como seu jeito apaixonado e vibrante o ajuda a obter sucesso na profissão. Os assuntos mais complexos e subjetivos são tratados com simplicidade pelo catalão de 47 anos nessa entrevista.

Guardiola é tricampeão espanhol com o Barcelona, tricampeão alemão com o Bayern de Munique e campeão inglês na última temporada com o Manchester City. Além disso, venceu a Liga dos Campeões duas vezes no comando do Barça - entre outras inúmeras conquistas. Mas o único momento em que falou sobre títulos foi para ressaltar "que são importantes, mas não são paixão".

 
Guardiola em ação como técnico do Manchester City — Foto: Reuters

Guardiola em ação como técnico do Manchester City — Foto: Reuters

Confira os principais trechos da entrevista abaixo:

 

SOBRE FAMA, ASSÉDIO E TRABALHO

"Eu sabia o que eu ia fazer desde os 18, 19 anos. Tenho vivido esse tipo de vida há anos, e isso não é um problema. Eu entendo, jogo o jogo

Minha esposa Cristina, os lindos filhos que temos... é tudo porque ela está lá. Minha família sabe que, às vezes, estou lá, mas não estou. Que às vezes estou em casa, mas não estou. Eles chamam: “Pep! Pep!”. Mas sabem que eu estou no meu próprio mundo.

Meu trabalho exige muito de mim. Cristina é uma mulher incrível, não apenas uma mãe incrível. Se estamos falando sobre mudar para Nova Iorque, Munique ou para cá (Manchester), e ela decide não vir, eu não vou vir. Eu não posso estar sozinho, sem a minha família, nesse tipo de trabalho."

 

SOBRE AMOR NA VIDA E NO FUTEBOL

"Eu não tenho vergonha de dizer que amo as pessoas. Pelo contrário, talvez eu até diga demais que os amo. Nesse sentido eu me sinto como um latino, minha expressão facial e minha linguagem corporal sempre expressam perfeitamente o que eu sinto naquele momento, não consigo escapar ou me esconder.

Mas no futebol a paixão está em campo. Às vezes só o que eu preciso é abraça-los, não preciso falar com eles. As pessoas esquecem que somos seres humanos. Pensam que somos como gelo, frios, uma máquina. Isso é muito distante de quem realmente somos."

Guardiola fala com Sterling em City x Liverpool — Foto: Reuters/Carl Recine

Guardiola fala com Sterling em City x Liverpool — Foto: Reuters/Carl Recine

 

SOBRE TALENTO

"É claro que todos nós temos algo para dar. Eu acho que sou bom no futebol porque trabalho com paixão. Quando digo que amo esse jogo, é porque eu amo esse jogo. Quando você coloca a paixão à frente, sempre funciona.

 

SOBRE SER AMADO

 

"Estatísticas e números são legais, mas os números não são paixão. Não te dão tudo. Títulos são importantes, é claro, e eles me ajudaram a ter emprego e a manter meu trabalho com paixão. Mas eu acho que todos os treinadores são felizes quando reencontram os ex-jogadores, abraçam, riem e têm uma boa relação. Todo mundo ama ser amado, é o segredo das nossas vidas."

 

SOBRE JOHAN CRUYFF (Que foi seu técnico no Barcelona)

 

"Ele me ajudou a amar esse jogo, a amar o futebol. E, para amar, você precisa entender. Ele nos ensinou segredos, porque eram coisas que só ele enxergava. A maneira com que ele via o futebol era totalmente diferente, tinha muito ímpeto nisso. Ele era obsessivo, exigente, estressante. Era como um pai bruto.

Não sou um cara religioso, então não converso com ele, mas sempre me recordo. Talvez eu quisesse ter fé para acreditar que ele está nos assistindo lá de cima. Às vezes eu acho que isso acontece."

Guardiola (à direita) atuou sob o comando de Cruyff no Barcelona — Foto: Agência Getty Images

Guardiola (à direita) atuou sob o comando de Cruyff no Barcelona — Foto: Agência Getty Images

 

SOBRE O PROBLEMA DE DAVID SILVA

 

"Esse sempre vai ser um episódio incrível da nossa vida juntos, para todo o time que o viu sofrer, o que aconteceu. Mateo (filho de David) lutou pela vida por vários meses, e nós dissemos para o David que ele poderia ir e voltar, era ele quem decidia. “Estamos aqui para o que você precisar”.

Agora ele está bem. David é forte, e acho que está mais maduro. Tenho para mim que ele ri mais agora, fala mais. Foi legal ver o final feliz dessa situação difícil. Acho que Mateo vai ser forte, ele sobreviveu. Então tudo que possa acontecer, ele vai saber lidar.

 

Guardiola comemora com David Silva no Manchester City — Foto: Getty Images

Guardiola comemora com David Silva no Manchester City — Foto: Getty Images

 

SOBRE INOVAÇÃO

 

"Acho que a humanidade avança porque as pessoas não aceitam a realidade e tentam descobrir coisas novas. Se você não tenta ser criativo e não se pergunta o porquê de fazermos aquilo, “por que não de outro jeito?”, a humanidade não existe mais. Esse tipo de pessoa é necessário para tornar a humanidade melhor.

O futebol é legal porque o que funciona hoje pode não funcionar amanhã. Às vezes você faz algo legal e pensa “ok, se eu continuar fazendo isso vou me dar mal”. Quando você vê os sinais, tem o sentimento, você começa a fazer as coisas diferente. Todos os treinadores tomam decisões por causa de sentimentos. Temos muita informação sobre o oponente, mas temos sempre que viver pelos sentimentos."

 

 


NOTÍCIAS RELACIONADAS

Rua Conselheiro Saraiva, 317 | Vila Ercilia | São José do Rio Preto - SP | Fones: 0xx (17) 3203-0077 | Diretor Presidente - Sergio da Silva Paranhos

Sindicato SETH - Todos os direitos - Desenvolvido por MaquinaWeb Soluções em TI